DESEMPENHO ESCOLAR: pais, filhos e escola

Meu filho anda na ponta dos pés, E agora?
23 de maio de 2016
TulipaBaby apresenta linha de móveis inspirada no Barroco
13 de junho de 2016
Mostrar tudo

DESEMPENHO ESCOLAR: pais, filhos e escola

Por: Larissa Bonucielli Agne

Quando os pais participam da vida escolar dos filhos a aprendizagem se torna muito maior.

É importante estar atento quando o boletim mostrar notas baixas e não achar que é um problema a ser resolvido apenas na escola. Pais e professores devem se unir assim que as primeiras dificuldades começarem a surgir, e o ideal é que já exista um relacionamento próximo dos pais com a escola (vice-versa) e não seja apenas uma procura específica em função de um problema que apareceu.

Pensando nesse assunto e a partir dos atendimentos no consultório, elaborei algumas dicas para ajudar os pais a entenderem melhor essa questão do desempenho, do relacionamento com a escola e de como podem ajudar seus filhos a obterem melhores resultados.

Dicas para os pais:

  • Conversar

Conversar é fundamental em qualquer relação e quando se trata de crianças, mais ainda. Não poupe saliva! Converse e pergunte sobre coisas básicas, como por exemplo: “como foi seu dia?”, “o que aprendeu hoje?”, “passou por alguma dificuldade? Me conta…” ou ainda “no intervalo, brincou de quê?”.

Enfim, tenha interesse pela vida da criança, independente da idade dela é importante, ajuda a fortalecer o vínculo e você fica a par do que acontece no dia-a-dia de seu filho.

Claro que, a idéia não é forçar uma conversa, fazer pressão para que a criança fale ou exigir um relato diário… É algo natural, tem que ser leve, com afeto e na base da amizade. Cada criança tem um jeitinho especial e quando não gostam de falar muito é preciso achar o caminho até que ela se sinta a vontade.

  • Estudar junto

Sabemos que a rotina atual de muitos pais é super corrida e quase não há tempo para fazer as coisas, sobrando pouco tempo para observar ou auxiliar os filhos nos deveres de casa. Porém, é importante que um dos dois esteja presente e realize essa função, isso ajudará com a motivação e o interesse da criança pelo estudo.

Uma boa dica é os pais tentarem trazer exemplos dos quais viveram com a criança para essa hora de estudo, fazendo a ligação do conteúdo com a experiência vivida. Além de enriquecer o conhecimento da criança, ajudará ela a não esquecer facilmente e, talvez, até a se interessar mais.

  • Não comparar

Evite fazer comparações, seja entre irmãos, colegas ou amigos. Não faça. Cada criança é única e tem seu jeito particular de aprender e se desenvolver.

“Alguns são mais rápidos para resolver as tarefas, outros mais lentos.”

“Alguns aprendem na primeira explicação, outros precisam de 2, 3, 4, etc.”

“Alguns são ótimos em matemática, outros são melhores em geografia.”

E isso não quer dizer que sejam incompetentes ou incapazes, apenas que tem habilidades e competências melhores para uma área do que para outra, e nisso somos todos iguais, pois não há como ser excelente em tudo nessa vida. Portanto, a principal dica é cuidar com as exigências e comparações, e procurar entender onde estão as dificuldades para estimular de outras maneiras e assim obter outros resultados.

  • Rotina

Todos precisamos de rotina, e com as crianças não é diferente. É preciso ter hora e espaço para tudo. Hora de comer não é hora de fazer tarefa. Hora de dormir não é hora de comer. E assim por diante…

Estabelecer horários e tarefas é essencial para manter o mínimo de organização e funcionalidade em casa. Sem contar que, também ajudará os pais a conseguirem um pouco de tempo e espaço para si, pois não deixaram de ser um casal quando viraram pais.

Voltando aos filhos e à rotina, para que eles tenham um melhor aprendizado é preciso que estejam descansados e alimentados, então, coloque prioridades. Quando for a hora de estudo, procure organizar um espaço para isso, com conforto e iluminação adequados e, principalmente sem televisão ou outras distrações.

Ajudando seu filho a estabelecer e manter uma rotina com uma boa alimentação, regime de sono adequado e horários de estudo tudo se tornará mais fácil.

  • Autonomia

É muito importante a criança entender suas responsabilidades. Parece estranho falar dessa maneira quando se trata de crianças, mas além de importante, quando ela entender que tem regras e responsabilidades a cumprir, todo processo de aprendizado se torna mais fácil.

É necessário que a criança internalize que possui controle sobre sua aprendizagem e que o seu sucesso escolar depende em grande parte do seu esforço.

Logo acima falei sobre como é importante auxiliar a criança nas tarefas e até buscar exemplos para fortalecer o aprendizado. Porém, os pais não devem estudar pelos filhos, apenas orientar o estudo. (Vale exemplos de cotidiano ou de férias, estratégias diferentes e até teatro, mas tudo com intuito de reforçar, estimular e ajudar no desenvolvimento das tarefas e do aprendizado.

É preciso que os pais controlem um pouco a ansiedade quanto ao desempenho escolar dos filhos, pois é essencial não fazer apontamentos por eles, arrumar as mochilas, ou organizar os materiais escolares sempre… Isso só causará mais dependência.

É claro que, nos primeiros anos existe uma maior atividade dos pais com os deveres dos filhos e a supervisão é necessária, contudo, à medida que a escolaridade vai aumentando a supervisão deve ir diminuindo.

Com o apoio correto da família e mantendo proximidade com a escola, os pais conseguirão perceber o quanto seu filho evoluirá. Em geral, as crianças passam a ser mais equilibradas afetivamente, aprendem a aproveitar melhor o conhecimento que lhes é passado, sentem-se mais seguras e confiantes, tendem a ser mais participativas e conseqüentemente apresentam melhora no desempenho escolar.

  • Ajuda profissional

Gosto de salientar que essa evolução escolar não acontece da noite para o dia, é necessário disciplina dos pais também, pois tudo depende de nossos hábitos e atitudes, cabendo avaliar como isso tudo está inserido em no cotidiano da família.

É claro que, se a criança não está evoluindo ou os pais não estão conseguindo lidar com a situação é essencial procurar uma ajuda profissional, que poderá investigar melhor e auxiliá-los nessa demanda.

Vale a pena tentar, não é mesmo?

LARISSA BONUCIELLI AGNE – Psicóloga, membro da ABPC (Associação Brasileira de Psicoterapia Cognitiva), atua na área clínica com foco em Desenvolvimento Humano. É especialista em avaliação psicológica e consultora em Gestão de Pessoas, Negócios e Carreira. Realiza workshop, treinamentos e palestras para a área corporativa, empresarial e educacional. Atualmente atende na Clínica Rabenschlag em Joinville (SC). Contato: Clínica Rabenschlag Rua Ministro Calógeras, 310 – Sala 01 – Centro (47)3029.0809 / (47)9220.2202 Email: larissa.agne@gmail.com

Mariana Woj
Mariana Woj
Sou jornalista por profissão, editora da Revista Babies, casada com o Leandro e apaixonada pelo coração cheio da amor que adquiri desde que me tornei mãe do Ben,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *