Mulheres tem mais doenças nos olhos que os homens. Saiba porque.

Garten promove sábado divertido para as crianças
11 de março de 2020
Coronavírus: Pró-Rim reforça cuidados com pacientes em hemodiálise e transplantados
24 de março de 2020
Mostrar tudo

Mulheres tem mais doenças nos olhos que os homens. Saiba porque.

Março é o mês para celebrar as mulheres e suas conquistas, mas também é a oportunidade para falar sobre saúde, incluindo alguns cuidados com os olhos. De acordo com o conselho brasileiro de oftalmologia (cbo), estudos indicam que as mulheres de todas as regiões do mundo e de todas as idades têm um risco significantemente maior de deficiência visual do que os homens. Isto acontece principalmente devido a maior expectativa de vida das mulheres e, nas sociedades mais pobres, por causa da falta de acesso aos serviços médicos. Conforme afirma a Organização Mundial da Saúde (OMS), duas a cada três pessoas cegas no mundo são do sexo feminino, ou seja, no total 27 milhões de mulheres deficientes visuais.

Os motivos são muitos como aponta a OMS: questões sociais como as diferenças educacionais (falta de informações sobre tratamentos e a cirurgia de catarata, por exemplo), e econômicas como a baixa renda, obstáculo para a aquisição de medicamentos, lentes corretivas e o acesso a unidades de saúde, muitas vezes distantes do local de residência.

Causas – Os problemas oculares que afetam mais mulheres do que homens são diversos, como a degeneração macular relacionada à idade, retinopatia diabética, olho seco, glaucoma, catarata, doenças neuroftalmológicas, doenças oculares inflamatórias. AS causas biológicas para a maior suscetibilidade feminina a essas doenças, apesar de estudadas, são pouco conhecidas, o que dificulta a implementação de formas para reduzir as disparidades de gênero quando o assunto é saúde ocular. Sabe-se que a interação entre hormônios sexuais, genética, fatores ambientais e o sistema imunológico está ligada à ocorrência de afecções sistêmicas – tais como a esclerose múltipla, doenças reumáticas, diabetes e hipertensão –, que podem acarretar consequências graves à visão.

De acordo com a Dra. Marcielle A. Ghanem, oftalmologista do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, empresa do Grupo Opty, a expectativa de vida da mulher tem crescido sistematicamente e é um fator importante. “Problemas como a degeneração macular relacionada à idade acontecem geralmente após os 60 anos de idade. Já a síndrome do olho seco, também mais prevalente entre as mulheres, geralmente ocorre após a menopausa devido às alterações hormonais”, comenta a médica, reforçando a importância de as mulheres realizarem consultas preventivas anuais e ao menor sinal de alterações na visão.

Dra. Marcielle A. Ghanem, oftalmologista do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem

Para as gestantes – A gravidez traz um período de mudanças emocionais, físicas e psicológicas nas mulheres. E com a visão não é diferente. A retenção de líquido no organismo originada pela gestação, causa tanto o inchaço nos pés, como também pode alterar o formato e a espessura da córnea e do cristalino, ocasionando mudanças refracionais, ou seja, do grau dos olhos. Também são comuns sintomas de ressecamento, coceira, fotofobia, embaçamento, pontos brilhantes ou manchas escuras na visão.

A pré-eclâmpsia — aumento da pressão arterial que eventualmente ocorre a partir da 20ª semana em aproximadamente 5% das grávidas — e o diabetes gestacional também podem acarretar em perdas graves de visão. O quadro geralmente regride logo após o parto, mas existe a possibilidade de sequelas.

“A hipertensão arterial pode levar ao comprometimento dos vasos sanguíneos da retina, com surgimento de hemorragias, edema e consequentes sintomas de fotopsias (pontos brilhantes na visão), manchas escuras, visão embaçada e visão dupla”, explica a oftalmologista. “Trata-se de um problema grave, cuja detecção precoce e tratamento são fundamentais para evitar a progressão para a forma mais grave da doença (eclampsia), que pode causar epilepsia e ameaçar a vida da mãe e do bebê. O acompanhamento oftalmológico durante o pré-natal é fundamental para todas as gestantes e principalmente para as mulheres que já tenham alguma condição pré-existente, completa.

Cuidados, sempre – não importa a idade ou fase da vida. Além de consultas anuais ao oftalmologista, manter um estilo de vida saudável é o caminho para preservar a saúde dos olhos. “nunca coçar os olhos e usar óculos com proteção ultravioleta é o que recomendo às mulheres para preservarem a visão”, finaliza Dra. Marcielle.

Mariana Woj
Mariana Woj
Sou jornalista por profissão, editora da Revista Babies, casada com o Leandro e apaixonada pelo coração cheio da amor que adquiri desde que me tornei mãe do Ben,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *